12 de agosto de 2017

Declaração de Fé

1 – Bibliologia:

Na revelação geral e específica de Deus, afirmamos que a Santa Bíblia é central e essencial para nosso entendimento do Criador. Cremos que as Escrituras Sagradas (Antigo e Novo Testamento) são plenamente inspirados por Deus: i.e., que Deus superintendeu os autores humanos para que, usando suas próprias personalidades, compusessem e registrassem isento de erro Sua revelação nas palavras dos manuscritos originais. Portanto, elas são infalíveis, constituindo a suprema regra de fé e prática.
(Mt 5.17- 18; 24.35; Jo 10.35; 17.17; 1 Tm 3.16-17; 2 Pe1.20-21).

2 – Teologia de Deus:

Confessamos um só Deus. infinito e pessoal, criador de tudo que existe, onipotente, onisciente, onipresente, imutável,” santo, benigno e misericordioso. Este único Deus existe eternamente em três pessoas. Pai, Filho e Espirita Santo. Por isso, reconhecemos diversidade na sua unidade e unidade na sua diversidade – três pessoas em uma essência.
(Gn 1.1-2, 27; Sl 139; Is 9.6; 48.16; Mt 28.91; 2 Co 13.13; Tg 1.17).

3- Angelologia e Demonologia:

Cremos na realidade do mundo sobrenatural, incluindo anjos bons que ministram a Deus e aos santos. Cremos, também, na realidade de Satanás e seus anjos malignos, que, no exercício de seu livre arbítrio, rebelaram-se contra o Criador, e agora dominam o mundo, agindo de modo organizado contra Deus e Seus filhos. Estes serão punidos no lago de fogo para sempre.
(ls 14.12-15; Jo 14.30; 2 Co 4.4; Ap 12.9-10; 20.1-5).

4- Antropologia:

Cremos que o homem foi criado à imagem de Deus, i.e., de forma pessoal, finito, perfeito e imortal. Adão e Eva foram pessoas históricas, criadas sem defeito por ato miraculoso, sendo assim os pais de todos os seres humanos. Por isto, todos os homens possuem os mesmos primeiros pais, sendo ontologicamente iguais, independentes de sua ascendência, nível social, cor ou nacionalidade.
(Gn 1.26-28; 2.18-24; 3.20; Dt 10.17; Lc 3.38; Tg 3.9).

5- Hamartiologia:

Afirmamos que, por causa da desobediência de Adão, o pecado entrou na raça humana tornando todo homem um pecador; em estado de inimizade contra Deus.

Reconhecemos que o homem é incapaz de agradar a Deus ou merecer de algum modo sua salvação. Esta rebeldia fundamental entre o homem e seu Criador também se manifesta nos níveis psicossomático, familiar, sociológico e ecológico.
(Gn 3.1-17; Rm 1.18-3.23; Ef 2.1-5; 4.17-19; Tt 3.3).

6- Cristologia:

Confessamos que Jesus Cristo é eternamente o Filho unigênito de Deus, e que, sendo Deus, é da mesma essência, poder e glória do Pai. Ele foi concebido pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria, possuindo assim duas naturezas: divina e humana. Como Deus-homem, ele é tanto o exemplo a ser seguido em sua humanidade, quanto o Deus a ser adorado em sua divindade. Sendo plenamente homem, Jesus Cristo teve uma morte substitutiva em nosso lugar; sendo plenamente Deus, sua morte tem valor infinito para que todos os que creem. Cremos também, na ressurreição corporal de Jesus sendo esta uma prova divina da veracidade e eficácia de sua vida e obra na cruz—fato visto por mais de quinhentas (500) pessoas. Ele ascendeu aos céus e está à destra de Deus, agindo como nosso intercessor e advogado.
(Lc 1.35; Jo 1.1-4, 14, 18; 10.30; 20.28; At 2.30-33; 1 Co 15.1-5; Hb 1-2; 1 Jo 2.1).

7 – Soteriologia:

Cremos que o perdão dos pecados e a reconciliação com o Criador constituem o dom gratuito de Deus, podendo ser apropriado somente através da fé em Jesus Cristo como Deus e substituto pessoal pelo castigo dos nossos pecados. Confessamos que Cristo morreu pelos pecados de todos os homens, propiciando assim a santa ira de Deus, reconciliando-O com o mundo. Mas esta salvação realiza-se somente através da fé individual no Salvador; a rejeição do dom da salvação em Cristo faz com que o homem permaneça sob a ira de Deus. Sendo salvo, o ser humano é remido, justificado, reconciliado, adotado como filho e feito herdeiro da vida eterna, condição que jamais se pode perder.
(Mc 10.45; Jo 3.14-18, 36; 20.31; At 16.31; Rm 3.24-26; 2 Co 5.17-21; Ef 1.3-14; Tt 3.4-7; Hb 9.14-10.14; 1 Jo 2.2; Ap 5.9).

8 – Pneumatologia:

Confessamos que a pessoa do Espírito Santo é da mesma essência, poder e glória do Pai e do Filho e, que, sendo Deus, executa a vontade de Deus no universo. Desse modo, o Espírito é agente na criação da terra, na inspiração da Bíblia, na consciência do homem e no testemunho da verdade divina.
(At 5.3-4; 1 Co 12.13; Ef 1.13-14; 5.18; Tt 3.5).

9 – A Vida Cristã:

Cremos que o novo nascido, através de Jesus Cristo, é equipado como todo o necessário para agradar a Deus e andar vitoriosamente sobre o pecado por meio da fé e obediência à Palavra de Deus e submissão ao Espírito Santo. Assim, a vida cristã nos convoca à um comportamento santo, tendo em vista o desenvolvimento de nossa vida devocional, do amor ao próximo, da prática de boas obras, do exercício dos dons espirituais e do bom desempenho na batalha espiritual. Reconhecemos, ao mesmo tempo, a liberdade no Espírito do indivíduo nas questões controvertidas da prática cristã, dentro dos limites do Novo Testamento, sabendo que Deus age com cada um de seus filhos de uma forma especial.
(Rm 6.3-11; 14.1-33; 1 Co 10.23-33; Gl 2.20; 5.18-23; 1 Ts 5.23; Hb 4.12).

10 – Eclesiologia:

Cremos na igreja universal, iniciada em Pentecostes, sendo o Corpo e a Noiva de Jesus Cristo, constituída de todos os santos os que são batizados no Espírito Santo. Atualmente, esta igreja pode ser constatada visivelmente na forma de igrejas locais, grupos de pessoas que confessam sua fé em Jesus Cristo, que foram batizados e que se organizaram para fazer a vontade de Deus. A igreja neotestamentária destaca-se pela prática da adoração, ensino, comunhão e evangelização, sob a liderança de homens qualificados de acordo com as Escrituras. Além disso, pratica as duas ordenanças bíblicas: o batismo e a ceia do Senhor.
(Mt 16.18; At 2.42-47; 1 Co 1.1-2; 11.23-31; Ef 1.22-23; 5.25-27; 1 Tm 3.1-12; Tt 1.5-9).

11- Evangelização:

Cremos que todos aqueles que não aceitaram a revelação de Deus—especificamente o evangelho de Jesus Cristo—estão perdidos, sendo que nós temos a solene missão de pregar o evangelho de Cristo a toda criatura em todo lugar. Cremos que a obra da evangelização do mundo não será consumada senão através da ação missionária, implantando igrejas locais entre todas as etnias da terra.
(Mt 28.18-20; Mc 16.15; At 1.8; 13.1- 4; Rm 10.13-15).

12- Escatologia:

Afirmamos a volta pessoal e visível de Jesus Cristo a este mundo para arrebatar a sua igreja; estabelecer o seu reino milenar e finalmente reinar por toda a eternidade no Novo Céu e na Nova Terra. Cremos que a evidência bíblica apoia um arrebatamento pré-tribulacional da igreja e, no milênio, haverá um síntese e realização das promessas tanto a Israel, quanto à Igreja. Cremos, também, na ressurreição corporal de todos os mortos, e que, após o julgamento, os salvos irão para a vida eterna com Deus, e os perdidos para a eterna separação de Deus e a condenação perpétua no lago de fogo.
(Mt 25.31-46; 2Co 5.10; 2Ts 1.7-10; Ap 19.7-9; 20.1-15; 22.1-5.)