O Cenáculo (3): As Obras e o Espírito.

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O GUIA EM PDF.

ouvidos-atentos

Neste domingo, na minissérie “O Cenáculo” (Jo 13.31 – 14.31), nós continuamos nosso estudo do discurso de Jesus aos Seus discípulos antes de ser traído, preso, e crucificado. Lembrando que o discurso todo se concentra na glorificação de Jesus (Sua morte, ressurreição e ascensão), estudamos as palavras que Jesus ofereceu para confortar e assegurar os Seus discípulos na Sua ausência (Jo 14.12-17).

No vv.  8-11, ao responder o pedido de Filipe de mostrá-los o Pai, Jesus explicou que quem vê o Filho, vê o Pai. Os discípulos deveriam acreditar que Ele está no Pai e o Pai está nEle. A prova disso estava nas obras que Jesus fazia (14.10, 11). No texto desta semana, vimos que Ele prometeu aos Seus discípulos que “aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que estas, porque eu estou indo para o Pai” (v. 12). Jesus estava declarando que na Sua ausência podemos ministrar essas obras com segurança, sabendo que agimos em Seu nome, para a glória do Pai por meio do Filho. É importante ressaltar que Ele não estava falando somente de sinais miraculosos, pois vemos que essas coisas encerraram com o final da era apostólica. Ele falava também de obras que nós continuamos fazendo hoje; as atitudes e comportamentos que transmitem o Seu evangelho para as pessoas dentro e fora do corpo de Cristo.

Outra lição importante desse texto é o começo do ensino sobre o Espírito Santo. Jesus explicou que se Seus seguidores O amam, obedecerão Seus mandamentos. Nesse contexto, acrescentou que Ele pediria ao Pai, e o Pai daria “outro Conselheiro”. Esse “parakletos” (um que acompanha, aconselha, ajuda e conforta) seria igual a Ele, mas outra “pessoa” da Trindade: o Espírito Santo. Ele também foi caracterizado como o Espírito da verdade. Veremos mais adiante alguns ministérios do Espírito, mas por ora examinamos que, na ausência de Jesus, Ele é uma constante presença na vida do crente que o ensina e o capacita para a obediência que demonstra o seu amor por Jesus. O Espírito não é reconhecido, nem conhecido pelo mundo, mas está com o crente, e habita no crente.

coracoes-abertos

Vamos aplicar o que aprendemos sobre as obras à nossa vida espiritual.

Aquele que crê em Jesus fará também as obras que Ele fez. 

Existem muitos pensamentos equivocados sobre a função e importância das obras na vida do cristão, mas o fato é que o próprio Jesus falou que os Seus seguidores fariam grandes obras.

Eu sou salvo (ou mantenho minha salvação) pelas boas obras?

Muitos creem que as obras são o caminho para a salvação. Outros, que a salvação é pela graça, mas a vida cristã é mantida pelas obras. Leia Ef 2.1-10. Será que podemos fazer obras suficientes para obter a graça de Deus? Leia Gl 3.1-11. O que o v. 3 diz sobre viver a vida em Cristo pelo próprio esforço? Será que obras são a maneira que mantemos a salvação ou vivemos a perfeição de Cristo?

Eu preciso manifestar obras miraculosas (curas, milagres, línguas) para provar que sou salvo?

Houve uma grande confusão acerca dos sinais miraculosos da era apostólica desde o começo do século XX. Muitas igrejas alegam usar estes sinais, e quem não os faz é tratado como cidadão de segunda classe do reino. Mesmo que ainda existissem hoje, não temos respaldo bíblico para usá-los como evidência da salvação ou da espiritualidade.

Eu fui salvo pelas boas obras ou para elas? 

Bom, já respondemos a primeira parte. Leia Tito 2.11-14. Onde as obras se encaixam no plano de Deus? Devemos praticá-las? Você está, de fato, praticando as boas obras?

Por fim, as minhas obras correspondem ao critério de glorificar o Pai no Filho (Jo 14.13)?

maos-estendidas

Vamos aplicar o que aprendemos sobre o Espírito Santo à nossa vida de forma prática.

Jesus disse, “Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos. E eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Conselheiro para estar com vocês para sempre, o Espírito da verdade” (14.16). Em outras palavras, o Espírito Santo é uma promessa de Deus para aqueles que creem no Filho (no contexto do v. 10).

Eu preciso sentir a presença do Espírito Santo para saber que Ele está na minha vida? A resposta simples é “não, não precisa”. Primeiro porque a vida em Cristo é baseada na fé em Sua Palavra, não nos sentimentos pessoais. Mas também porque a Bíblia aponta as evidências que podemos usar para avaliar Sua ação em nossa vida.

Procure evidências da ação do Espírito Santo em sua vida:

Você ama a Jesus? No texto de domingo (Jo 14.12-17), vimos que a presença do Espírito está ligado ao amor por Cristo. Que evidências existem na sua vida que você ama a Jesus? Você procura cercar-se de hábitos, pessoas e comportamentos que estimulam o seu amor por Ele? Se não, por que não?

Você obedece aos Seus mandamentos? Uma grande evidência, tanto do amor por Jesus, quanto a presença do Espírito, é a obediência. Você procura saber e obedecer ao que Jesus ensinou na Sua Palavra?

Você conhece a verdade bíblica (prova da ação do Espírito da verdade em sua vida)? Como podemos amar e obedecer a Jesus se não conhecemos a verdade? Afinal, Ele é a verdade (14.6) e pediu ao Pai que enviasse o Espírito da verdade. Que maior evidência podemos ter do que essa verdade presente em nossa vida?

Você enxerga a presença do fruto do Espírito em sua vida? Em Gálatas 5.22, 23 vemos que existem produtos naturais espirituais em nossa vida a partir da presença dEle. Leia o texto, e anote como esse fruto se manifesta em sua vida.

mentes-ocupadas

Dia 1

João 14.1-31

Dia 2

Efésios 2.1-10

Dia 3

Gálatas 3.1-11

Dia 4

Gálatas 5.22, 23

Dia 5

Tito 2.1-15

Dia 6

2 Timóteo 4.1-5

Dia 7

Tiago 2.14-26

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *