O Cenáculo (1): O Discípulo e o Plano de Deus

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O GUIA EM PDF.

ouvidos-atentos

Neste domingo começamos uma nova minissérie intitulada “O Cenáculo” que nos levará de João 13.31 até o final do capítulo 14. O tempo dessa minissérie é bem interessante, pois terminará bem próximo ao lançamento da adaptação do livro “A Cabana”. A premissa do livro é que um homem, passando por grande sofrimento depois da morte de sua filha, é chamado por Deus à cabana para um fim de semana com a trindade. Muitos saudaram o livro como uma excelente ilustração da trindade, mas a verdade é que o autor colocou na boca de Deus Pai, Deus Filho e o Espírito de Deus palavras contrárias à verdade revelada na Palavra de Deus. Já no cenáculo, Jesus passou Suas últimas horas antes da crucificação com Seus discípulos. Naquelas cenas, nós vemos homens num grande momento de incerteza e ansiedade recebendo conforto e instrução na revelação de Jesus a respeito da trindade. Quer conhecer melhor a trindade? Esqueça a cabana! Volte para o cenáculo.

Na primeira mensagem da minissérie observamos o ensinamento de Jesus logo depois da saída de Judas Iscariotes. Descobrimos algo muito importante sobre o plano de Deus: Ele não nos revela o Seu plano por completo, mas pede fé e obediência à parte do plano que nos revelou. Jesus tinha pleno conhecimento dos eventos que estavam prestes a acontecer, e mesmo assim, revelou apenas o necessário para estimular a fé em Deus, conforto nas promessas de Deus e obediência à Sua Palavra. Ele falava da Sua morte, mas colocou para os discípulos assim: “Meus filhinhos, vou estar com vocês apenas mais um pouco. Vocês procurarão por mim e, como eu disse aos judeus, agora lhes digo: Para onde eu vou, vocês não podem ir” (v. 32). Isso gerou incerteza nos Seus discípulos, pois não entendiam (ainda) que significava que Ele iria morrer. Ao invés de esmiuçar o plano, Ele pediu que cressem, e que obedecessem ao mandamento de amar uns aos outros como Ele os amou, para que o mundo pudesse entender que eram Seus discípulos.

coracoes-abertos

Você está passando por momentos de incerteza ou ansiedade em sua vida? Talvez, como os discípulos naqueles momentos antes e logo depois da crucificação, você se sente abandonado por Deus? Como podemos tirar conforto e segurança da Palavra de Deus em momentos de insegurança?

A lição nas palavras de Jesus. Ainda veremos o discurso completo de Cristo no cenáculo, mas até as poucas palavras que vimos no texto de domingo já oferece informações ricas a respeito de Deus e o Seu plano.

Deus tem um plano. Ao explicar a Sua glorificação e aludir à Sua morte, Jesus estava demonstrando o Seu entendimento completo e Sua dependência fiel ao plano eterno de Deus. Você é confortado em saber que Deus não só tem um plano para sua vida, mas que Ele está ativo em cumpri-lo?

Deus nem sempre divulga os detalhes. Até mesmo nesse momento importante, Jesus não explicou tudo que estava para acontecer. É importante perguntar a nós mesmos: estou disposto a crer e obedecer a Deus mesmo quando não sei todos os detalhes?

A lição das palavras de Pedro. Pedro achou que entendia o plano, e queria mostrar como estava disposto a seguir a Jesus, até na sua morte. Jesus sabia que Pedro ainda tinha sofrimento e crescimento pela frente antes de estar pronto a morrer por Ele. Naquela mesma noite, para escapar da prisão e possível morte, Pedro negaria Jesus três vezes!

Qual o seu grau de fidelidade a Jesus? Você tem uma visão realista da sua lealdade a Cristo? Ou como Pedro, você diria que é fiel, mas na hora de defender sua fé ou assumir a sua identidade de cristão, você O nega?

Você evita sofrimento que leva à maturidade? De certa forma falar de morrer por Cristo às vezes é uma forma de escapar de uma vida difícil vivida por Ele. Quando vêm as tribulações a sua tendência é buscar o escape (mesmo em pecado), ou de viver a sua fé em meio às dificuldades?

maos-estendidas

Responda as seguintes perguntas numa folha de papel.

Quais são as suas circunstâncias? O que você está passando neste momento em sua vida? Bênçãos, alegria e riqueza, ou dores, tristezas e problemas financeiros?

Há alguma verdade revelada na Palavra de Deus que fala à sua situação? 

Se você respondeu sim: quais são os textos que dão mandamentos ou princípios acerca da sua situação? Você está obedecendo a esses mandamentos e princípios com fidelidade? Como sua obediência tem levado a uma fé mais profunda em Deus e Sua Palavra?

Se você respondeu não: Leia 2 Pe 1.3. Será que Deus se esqueceu de dar alguma coisa que precisamos para vida e piedade? Se você acha que não há algo na Bíblia acerca da sua situação, está na hora de conhecer melhor as riquezas da Sua Palavra!

Falar que devemos crer em Jesus e obedecer Sua Palavra é mais fácil do que viver esse princípio. Existem muitas situações em que nós concluímos que a única opção é uma resposta pecaminosa. Considere: 

Quando um cristão diz que conviver com o seu cônjuge é impossível e a única solução é a separação e divórcio ele está confiando e obedecendo a Palavra de Deus, ou dizendo que sua situação exige uma resposta pecaminosa?

Quando uma cristã diz que a única forma de “ser alguém” no mercado de trabalho é abandonar o papel bíblico de esposa e mãe, ela está confiando e obedecendo a Palavra de Deus, ou dizendo que sua situação exige uma resposta pecaminosa?

Como você está respondendo à situação que você anotou no início desta tarefa? Sua resposta demonstra confiança e obediência à Palavra de Deus, ou está dizendo que sua situação exige uma resposta pecaminosa?

mentes-ocupadas

Dia 1

João 13.31-38

Dia 2

João 14.1-31

Dia 3

Jeremias 2.1-13

Dia 4

Efésios 1.1-14

Dia 5

Deuteronômio 29.29

Dia 6

2 Pedro 1.1-4

Dia 7

João 21.20-23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *