Tá na Mesa! (4) A Família de Deus

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O GUIA EM PDF.

OUVIDOS ATENTOS

Neste domingo continuamos o nosso Mês da Família na IBABI com a minissérie “Tá na Mesa!”, um estudo bíblico que examina o conceito da igreja como família. Estamos usando como base o ensino de Dt 6.4-9, que começa com o amor por Deus. Também estudamos o exemplo da igreja primitiva (Atos 2.42-47) e o retrato da igreja como sendo corpo (1 Co 12).

No capítulo 8 do livro de Romanos, Paulo aborda a dinâmica entre a carne e o espírito, declarando “todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus” (Rm 8.14). Ele explica que em Cristo, não recebemos o espírito da escravidão, mas o espírito da adoção. Nós podemos chamar o nosso Deus de Pai (v. 15). Fizemos a pergunta, então, “quem é filho de Deus?”

Traçamos a resposta desde o começo do livro, onde Paulo explica a realidade universal do pecado (cap. 1-3), a futilidade das obras para a salvação (cap. 4), o plano de Deus em Cristo para nos salvar (cap. 5), a escolha entre a morte pelo pecado e o dom gratuito da vida eterna (cap. 6), e até a incoerência do pecado na vida cristã (cap. 7). A resposta? O filho de Deus é aquele que, pela fé, recebe a salvação oferecida por Deus em Jesus Cristo. Este é adotado para família de Deus, e este deve ser guiado pelo Espírito. Paulo explica o ser guiado da seguinte forma: “Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem, de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja” (Rm 8.5). Jesus morreu e ressuscitou para que fôssemos filhos que desejam andar segundo o Seu Espírito.

CORAÇÕES ABERTOS

É importante entender a dinâmica que Paulo ensina entre os três elementos: o espírito e a carne, e entre eles, a lei. É comum entre as igrejas evangélicas adotar uma de duas posições extremas:

legalismo, que enfatiza o cumprimento da lei (ou uma lista de regras impostas pela liderança). Parece espiritual, mas na verdade é carnal, pois tenta, por obras, agradar a Deus.

licenciosidade, que enfatiza a liberdade sob a graça para viver sem condenação. Também parece espiritual, mas na verdade é carnal, pois atende aos desejos da carne, e não busca o que o Espírito deseja.

Ambas as posições ignoram pontos importantes da verdade bíblica. A licenciosidade ignora que a lei não é pecado, é santa (Rm 7.7, 12), portanto a graça não nos dá liberdade para pecar (Rm 6.1, 2). Já o legalismo ignora que querer agradar (Rm 8.8) e obedecer a Deus (1 Jo 5.3) são, de fato, alvos do cristão…mas não pode ser realizado pela carne.

Há alguma obra boa que você possa fazer suficientemente para ser reconciliado a Deus pelo seu próprio esforço? (Isso é um exemplo de querer alcançar a justiça pela carne.)

Há algum pecado que possa separá-lo do amor de Deus em Cristo, fazendo-O abandonar um dos Seus filhos adotivos? (Isso é um exemplo de manter ou perder a santidade pela carne. Em caso de dúvida leia, Rm 8.33-39.)

Faz sentido querermos a vida eterna que Deus oferece em Cristo sem querer ser guiado pelo Espírito que O ressuscitou e que veio habitar em nós assim que cremos nEle? (Isso é um exemplo da licenciosidade—achar que a liberdade em Cristo é estar livre para fazer qualquer coisa.)

MÃOS ESTENDIDAS

O apóstolo Paulo explica, “Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo” (Rm 7.18, 19). E conclui, “Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?” (Rm 7.24). Qual é a solução então para a grande pergunta de Paulo?

Bom, a resposta simples é Jesus Cristo (Rm 7.25).

Mas como isso funciona em nossa vida diária? O primeiro passo é uma avaliação honesta e bíblica das atitudes e comportamentos que você tem diariamente. A marca do filho de Deus em Romanos 8 é ser “guiado pelo Espírito”. Você está sendo guiado por Ele?

Leia Efésios 4.22-25.

Aliste as atitudes e os comportamentos na sua vida que refletem uma “mente voltada para o que a carne deseja” (Rm 8.5a).

Que passos você está tomando para despir-se destas coisas?

Usando como base a lista que você fez, procure as atitudes e os comportamentos prescritos na Bíblia para refletir uma “mente voltada para o que o Espírito deseja” (8.5b).

Que passos você está tomando para revestir-se destas coisas?

Leia Filipenses 4.8.

Vimos que nossa caminhada espiritual está ligada à direção da nossa mente. Este texto diz que devemos pensar sobre o quê? Faça uma lista com cada item do versículo, deixando espaço para escrever entre cada um.

Para cada item, procure ensinamentos bíblicos que ajudarão a estimular os seus pensamentos naquela área. Observe como pensar naquilo que é verdadeiro, por exemplo, ajuda também a apontar mentiras em que você acredita, para você se despir delas.

MENTES OCUPADAS

Dia 1

Romanos 1.17-32

Dia 2

Romanos 3.1-26

Dia 3

Romanos 4.1-25

Dia 4

Romanos 5.1-21

Dia 5

Romanos 6.1-23

Dia 6

Romanos 7.14-25

Dia 7

Romanos 8.1-17

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *