Tá na Mesa! (3) Muitos Membros, Um Só Corpo

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O GUIA EM PDF.

OUVIDOS ATENTOS

Neste domingo continuamos o nosso Mês da Família na IBABI com a minissérie “Tá na Mesa!”, um estudo bíblico que examina o conceito da igreja como família. Já estudamos os conceitos de Dt 6.4-9 (amar, ensinar, espalhar) e o exemplo da igreja primitiva em Atos 2.42-47 (perseverança, temor, comunidade, unanimidade e reprodução). Neste domingo estudamos a ilustração do apóstolo Paulo em 1 Coríntios 12, que compara a igreja ao corpo.

Neste capítulo, Paulo abordou atitudes e comportamentos errados que surgiram pelo uso indevido dos dons espirituais. Ao invés de enxergar a origem e o propósito dos seus dons, os coríntios estavam usando-os para causar divisão. Hoje, embora alguns dos dons alistados tenham cessado, nós ainda vemos situações semelhantes nas igrejas, por não enxergarmos a igreja como um corpo.

Primeiro, e mais importante, é entender que o corpo é criação de Deus pelo Espírito. Cada pessoa tem, individualmente, os dons, ministérios e formas de atuação que Deus lhe deu pelo Espírito, e isto para o bem comum e de acordo com a Sua vontade. Em seguida, Paulo aponta para o fato que a igreja, como o corpo humano, é uma unidade; os diversos membros devem operar em conjunto. Ao mesmo tempo, o corpo apresenta diversidade, pois cada membro existe para exercer sua função dentro do corpo, sem necessidade de conflito, inveja, cobiça ou desânimo (caso algum membro se sinta inferior). Finalmente, vimos que um corpo saudável tem cuidado dos seus membros, dando tratamento individual àqueles que precisam de atenção especial.

CORAÇÕES ABERTOS

Como observamos, Paulo usou a ilustração do corpo para aplicar ao uso indevido de dons que ocorria na igreja de Corinto. É interessante observar que ao concluir seu ensino Paulo escreveu que passaria a mostrar-lhes “um caminho ainda mais excelente”. (1 Co 12.31). Qual era este caminho? Atuação dentro do corpo que parte do amor bíblico (1 Co 13). Não é acidente que o amor seja a base tanto do ensino de Paulo como da nossa série; afinal, os dois maiores mandamentos que Deus dá aos homens são alicerçados no amor. Como podemos aplicar a ilustração do corpo à nossa situação, já que não enfrentamos os mesmos problemas de Corinto?

O corpo é criação de Deus pelo Espírito Santo. Vemos que muitos enxergam a igreja como invenção humana, e portanto participação nela como uma escolha individual.  Como este ensino contraria esta noção atual? Qual é a importância de Deus ser o criador do corpo? (Veja 1 Co 12.4-7).

O corpo é uma unidade. Quando enxergamos a igreja como um corpo só, vemos facilmente como estes desentendimentos são doentios e improdutivos (Tg 4.1-3). Você está em algum conflito com um irmão em Cristo (da sua igreja ou de outra, com o seu cônjuge ou alguém da família)? Se somos um corpo só, por quê?

O corpo é caracterizado pela diversidade. Deus constituiu a igreja com membros de todo tipo, com dons, ministérios e formas de atuação diferentes. Será que visamos valorizar e potencializar os diversos dons, etc. dentro do nosso corpo? Ou só valorizamos aqueles que demonstram interesses e habilidades iguais as nossas?

O corpo cuida dos seus membros. Cabe ao corpo cuidar dos seus membros, sofrendo quando um membro sofre, lidando com casos de pecado, alegrando-se quando um membro é honrado. Fazemos isso?

MÃOS ESTENDIDAS

Um dos grandes problemas da igreja do século XXI é que existem membros que simplesmente não veem a necessidade de participar do corpo. Ao invés de enxergar a igreja pelas metáforas bíblicas: família, corpo, noiva, etc., com todas as implicações destes retratos, muitos se veem como sócios de um clube, cuja participação é voluntária e não membros de um corpo cuja participação é indispensável.

E você, como você enxerga sua participação na igreja? Se os seus olhos decidissem, a partir de hoje, participar do seu corpo da mesma forma que você participa na sua igreja, quando e quanto eles lhe seriam úteis?

Para termos uma igreja saudável, é necessária a participação saudável de todos os membros (diversidade), com singeleza de coração (unidade), direcionados pelo entendimento que somos corpo porque Deus nos constituiu corpo com a salvação pela graça mediante a fé em Jesus Cristo e nos capacita pelo Espírito Santo para exercer nossa função no corpo, a fim de amar a Deus completamente (Dt 6.5) e amar aos outros como Ele nos amou (Jo 15.12).

A grande pergunta é como? Se não estamos atuando assim, como chegamos a este ponto? Esta tarefa servirá para tomar alguns passos práticos.

Exame de vista. Num papel, avalie honestamente como você tem enxergado a igreja e se esta ótica é coerente com o retrato bíblico de corpo, família, noiva, etc.

Auscultação cardíaca. No mesmo papel, avalie a saúde do seu coração, referente ao amor por Deus e pelos outros. Que determina o ritmo do seu coração, Deus ou alguma outra coisa (idolatria)? O que está fazendo para estimular seu amor por Deus em Cristo?

Prescrição bíblica. Lembre-se de que não lhe falta nada! Procure estudar as Escrituras para entender as riquezas espirituais que você recebeu ao crê em Cristo, para assim colocá-las em prática.

MENTES OCUPADAS

Dia 1

Mateus 22.34–40

Dia 2

Marcos 12.28–34

Dia 3

Romanos 12.1-21

Dia 4

1 Coríntios 12.1-31

Dia 5

1 Coríntios 10.14–17

Dia 6

1 Coríntios 11.23–32

Dia 7

Efésios 4.1–8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *