#Ovelha (2): O Bom Pastor

Clique aqui para visualizar o guia em PDF.

Ouvidos Atentos

Neste domingo continuamos a minissérie “#Ovelha”, um estudo do capítulo 10 do evangelho de João. No início do capítulo, Jesus estabeleceu uma metáfora da cultura pastoral de Israel. Usando o aprisco de ovelhas (Israel) como referência, falou das pessoas diferentes que interagem com o rebanho. Assim Ele se destacou dos falsos mestres que vieram antes dEle, que eram ladrões, que não entraram pela porta, e que tinham motivação de roubar, matar e destruir as ovelhas. Como vimos na primeira mensagem, Jesus se identificou primeiro como sendo a porta das ovelhas, a única entrada legítima (vv. 7-8), e o único meio da salvação das ovelhas (v. 9).

Na mensagem de domingo, observamos que Jesus se identificou também como o pastor das ovelhas: “Eu sou o bom pastor” (v. 11). Tendo estabelecido que Ele não é como os ladrões, agora Ele mostrou que Ele também não é como o assalariado, que “não é o pastor a quem as ovelhas pertencem” (v. 12). O assalariado não se importa com a vida das ovelhas e portanto foge quando elas são ameaçadas (v. 13). Mas Cristo, o bom pastor, dá Sua vida pelas ovelhas. Ele as ama, e oferece a vida abundante (v. 10) por meio do Seu sacrifício. E, diferente de outras pessoas que oferecem sua vida para salvar alguém, o bom pastor tem autoridade para dar sua vida e retomá-la (vv. 17-18).

Outra verdade importante referente ao bom pastor é que, ao se identificar como o bom pastor, Jesus estava mostrando Sua perfeita obediência ao plano de Deus Pai. Ele conhece o Pai, e é conhecido por Ele (v. 14). Ele está cumprindo a profecia de Ezequiel 34, onde Deus promete ser o pastor das ovelhas e que Ele colocaria o seu servo, Davi (Jesus), como um só pastor das ovelhas (Ez 34.23). Jesus revelou outra verdade muito importante para nós gentios: o plano de Deus é maior do que o aprisco-Israel; Jesus veio para conduzir ovelhas “que não são deste aprisco” (ou seja, gentios). Ele tinha explicado que as ovelhas ouvem a voz do seu pastor e não de estranhos (vv. 4-5), e então, explicando sobre estas outras ovelhas, Ele disse, “Elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor” (v. 16).

Corações Abertos

Na parte da nossa aplicação espiritual, nós abrimos o significado de “assalariado” para entender como pode se aplicar na nossa vida no século XXI. No contexto, o assalariado era literalmente alguém pago para cuidar das ovelhas dos pastores legítimos. Na metáfora de Cristo, representavam liderança religiosa (como no caso dos fariseus), que estavam encarregados de cuidar dos judeus (ovelhas), mas que não se importavam com eles, e portanto os abandonavam ao primeiro sinal de problemas.

Quem é o “assalariado” hoje? Podemos pensar nos “assalariados” de hoje como pessoas na liderança espiritual; certamente existem muitos exemplos disso. Podemos, no entanto, também pensar em qualquer pessoa, conceito ou objeto além de Deus em que colocamos a nossa confiança como sendo um tipo de “assalariado”. Não precisam ser pessoas, conceitos ou objetos errados, o problema é quando confiamos mais neles do que no bom pastor. Estas coisas não tem o mesmo amor ou cuidado por nós que o bom pastor.

Que “assalariados” você consegue identificar na sua vida? Tem alguém ou alguma coisa na qual você confia mais do que no bom pastor?

Entendendo a vida em Cristo. Outra lição importante é sobre a vida que temos no bom pastor. Ele disse que veio para dar vida abundante para Suas ovelhas (v. 10); esta vida é nossa porque Ele, o bom pastor, deu Sua vida por nós (vv. 11, 14). Você já considerou as implicações disto? Jesus Cristo deu a Sua vida para que você e eu tivéssemos vida nEle!

Leia Gl 2.20. Entende como Paulo aplicou esta verdade? Que a vida que você vive agora pela fé em Cristo não é a sua vida, mas a vida dEle—Cristo vivendo em você? Como isso se manifesta diariamente na sua vida?

Mãos Estendidas

Outra aplicação importante que fizemos é sobre as “ovelhas que não são deste aprisco”. Já vimos várias vezes no evangelho de João que Deus é o autor soberano da salvação. Para Nicodemos, Jesus deixou claro que era uma obra de Deus (Jo 3). No discurso do pão da vida, Ele falou, “ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, não o atrair” (6.44) e “é por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a não ser que isto lhe seja dado pelo Pai” (6.65). No discurso da luz do mundo, Ele declarou “aquele que pertence a Deus ouve o que Deus diz. Vocês não ouvem porque não pertencem a Deus”. (8.47). Aqui, no discurso do bom pastor, o leitor descobre que existem ovelhas fora do aprisco de Israel que ouvirão a voz dEle (10.16). A pergunta pertinente diante de tudo isso é, “Se Deus está fazendo tudo isso, qual é a minha parte?” O que Deus quer que eu faça?

Precisamos entender a voz do bom pastor. Jesus não está aqui na terra de forma física, chamando as ovelhas, então como Ele as “chama”? Ele usa o Seu corpo: a igreja! Nós fomos comissionados para fazer discípulos de todas as nações (Mt 28.19-20). Nós somos a voz do bom pastor. Você está clamando às ovelhas, para que escutem a Sua voz?

Precisamos entender a mensagem do bom pastor. Não é possível chamar as Suas ovelhas sem usarmos a Sua mensagem. Você conhece a palavra de Deus? Você sabe falar, de forma fiel e incisiva, a mensagem do evangelho? O poder de Deus para a salvação daqueles que creem são as boas novas (Rm 1.16-17)!

Esta semana temos passos bem práticos que você pode tomar para aprimorar a sua vida em relação ao evangelismo: quarta (13/07), às 19h, tem mini-treinamento em evangelismo com o Rafael Guerra; e domingo (17/07), das 9h30 às 11h30, tem treinamento com a ferramenta Evangecube, com Pr. Ailton. Ambos serão na IBABI. Participe!

Mentes Ocupadas

Nossa leitura bíblica desta semana:

Dia 1

João 10.11-21

Dia 2

João 10.22-42

Dia 3

Ezequiel 34.10-24

Dia 4

Salmo 28.1-9

Dia 5

Eclesiastes 12.11-14

Dia 6

Miqueias 5.2-5

Dia 7

Gálatas 2.17-21

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *