#Ovelha (1): A Porta das Ovelhas

Clique aqui para visualizar o guia em PDF.

Ouvidos Atentos

Neste domingo, na nossa série “Podes Crer”, começamos a minissérie “#Ovelha”, um estudo do capítulo 10 do evangelho de João. Observamos que esse texto é uma continuação da fala de Jesus no capítulo 9. Usando como gancho sua acusação dos fariseus como guias cegos, Jesus usou outra metáfora para falar de liderança: a metáfora do pastoreio de ovelhas.

Nos vv. 1-5, Ele pintou o pano de fundo que usará no capítulo inteiro. Ele introduziu o aprisco das ovelhas, o lugar onde as ovelhas eram guardadas à noite. O único meio legítimo de acesso ao aprisco era a porta das ovelhas. O primeiro personagem que Ele apresentou é o ladrão ou assaltante, aquele que não entra pela porta (v. 1), e que entra para furtar, matar e destruir (v. 10). Só então Ele explicou a função do pastor das ovelhas, que é permitido entrada pela porta pelo porteiro. O pastor chama as suas ovelhas por nome, para conduzi-las para pastagem. As ovelhas ouvem e reconhecem a voz do pastor, mas fogem da voz dos estranhos. Elas o seguem para fora do aprisco e pastagem pelo caminho na qual ele as conduz.

Demonstrando bem a sua cegueira (9.39), os fariseus não compreenderam a metáfora das ovelhas (v. 6). Jesus estava declarando que faziam o papel do ladrão, a liderança pecaminosa que visava apenas tirar proveito do rebanho e não cuidar dele, muito menos salvá-lo (cf. Ez 34.1-10). O aprisco no texto representa Israel, e Jesus estava dizendo que havia um pastor com o direito legítimo e os motivos corretos para entrar no aprisco e chamar suas ovelhas. Mas a princípio, Jesus não se apresentou como esse pastor; primeiro, Ele declarou o terceiro “ego eimi” do texto de João: “Eu sou a porta das ovelhas” (vv. 7, 10). Com essa metáfora, Jesus fazia uma declaração em três partes: 1) Afirmava a Sua deidade mais uma vez com a fórmula “Eu sou”; 2) afirmava que era mais do que a pessoa legítima para entrar no aprisco, é de fato a única entrada legítima; acesso ao rebanho encontra-se somente em Cristo; e 3) afirmava ser a única salvação: “Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo” (v. 9).

Corações Abertos

A metáfora pastoral das ovelhas é rica em paralelos à vida espiritual de um povo. Não é exatamente um elogio para as “ovelhas”, pois a ovelha é complicada. Não muito inteligente, é um animal que precisa de cuidados constantes. Mas, por outro lado, o que a metáfora representa da parte de Deus, Pai e Filho, é tremendo: Ele ama as ovelhas, mesmo quando elas são incapazes de demonstrar o mesmo amor por Ele; Ele cuida daquelas que não podem cuidar de si; Ele sustém, conduzindo à pastagem necessária.

Nos vv. 1-10 deste capítulo, Jesus está usando a metáfora para dar um aviso referente àqueles que tentam entrar ilegitimamente no aprisco. Estava falando com Israel, mas o aviso é bem aplicável a nossa situação hoje também. O aviso pode ser entendido em dois sentidos:

Serve de aviso para aqueles que interferem com o rebanho sem terem o direito e com motivações erradas. Jesus falava com os fariseus, e estava dizendo: “Eu sei o que vocês são. Não adianta bancar o ‘pastor’—vocês são ladrões, e as ovelhas verdadeiras fugirão da sua voz”. Isso deve servir de alerta para nós hoje: Deus não se engana pelos falsos mestres que se multiplicam no mundo evangélico. Ele entende a motivação deles, e os julgará por suas ações. Você consegue discernir entre o falso mestre e aquele e representa o Pastor legítimo? Como podemos reconhecer a diferença entre um falso mestre e um pastor legítimo?

Serve de aviso para as ovelhas. Jesus fala claramente que as ovelhas ouvem a voz do seu pastor e que fogem da voz de estranhos (vv. 3-6). Considere as implicações desta afirmação. Você consegue distinguir entre a voz de Cristo (nas Escrituras) e a voz daqueles que vêm apenas para furtar, matar e destruir? Você está falando de Cristo para outras pessoas? As Suas ovelhas ouvem somente a Sua voz e fogem de estranhos!

Mãos Estendidas

Além do aviso sobre os ladrões que invadem o aprisco, temos a outra grande verdade dos vv. 1-10: Jesus é a porta das ovelhas.

Ele é a porta, portanto só Ele dá legitimidade à liderança espiritual. Jesus afirmou: “Digo-lhes a verdade: Eu sou a porta das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim eram ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os ouviram” (10:7, 8).

Ou seja, no plano de Deus, Jesus é a única porta de acesso ao rebanho. Temos que pedir a Deus discernimento por meio da Sua Palavra para não só reconhecer liderança que entra pela Porta, mas também para sermos líderes no rebanho que têm acesso legítimo pela Porta. Você conhece alguém que acha que existem outros caminhos (outras portas) no plano eterno de Deus? Como você está refletindo a verdade da Única Porta—Jesus Cristo?

Ele é a porta, portanto só Ele tem a salvação, e acesso à vida abundante.Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo. Entrará e sairá, e encontrará pastagem. O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente” (10:9, 10).

Você vive a “vida abundante”? Como observamos domingo, não se trata do evangelho da prosperidade, pois nem sempre o caminho do cristão é fácil. Mas na vida abundante, a ovelha entra pela Porta (salvação somente em Cristo Jesus), e sai com Ele, conduzido, mesmo pelo vale da sombra da morte (Sl 23.4), para pastagem que Ele aponta. Você tem a perspectiva eterna que encaixa tanto o sofrimento como as bênçãos no contexto do plano de Deus, em Cristo, pelo poder do Espírito Santo, para a glória eterna de Deus Pai?

Mentes Ocupadas

Nossa leitura bíblica desta semana:

Dia 1

João 10.1-10

Dia 2

João 10.11-21

Dia 3

João 10.22-42

Dia 4

Ezequiel 34.1-10

Dia 5

Ezequiel 34.11-16

Dia 6

Ezequiel 34.17-31

Dia 7

Salmo 23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *