Jesus, o Pão da Vida (2): Jesus Anda Sobre as Águas

Clique aqui para visualizar o guia em PDF.

Ouvidos Atentos

Neste domingo ouvimos a segunda mensagem do capítulo 6 de João, onde estamos estudando o discurso do pão da vida. No evangelho de João, o relato de Jesus andando sobre as águas é mais abreviada do que as versões de Mateus (14.22-33) e Marcos (6.45-52). Mesmo que seja um dos sinais miraculosos que comprovam a deidade de Cristo, no seu evangelho João não descreve muito do evento, pois está usando como ponte entre o milagre da multiplicação dos pães e o discurso do pão da vida. Mas vimos que, embora mais curto, o trecho não falta em riqueza.

A história é bastante simples: Jesus, vendo que a multidão queria coroá-lO à força, subiu sozinho para o monte; enquanto isso os seus discípulos desceram para um barco e partiram em direção à Cafarnaum. Eles remaram a noite toda, indo uma distância de 5 ou 6 km, quando avistaram Jesus aproximando-se do barco, andando sobre as águas. A princípio, eles tiveram medo ao ver Jesus, mas Ele declarou, “Sou eu! Não tenham medo!” e entrou no barco com eles. Logo em seguida chegaram ao outro lado. Normalmente, a declaração “sou eu” não seria fora do comum numa situação destas: não O reconhecerem, portanto Ele se identificou. Veremos um declaração semelhante feita por outra pessoa no capítulo 9. Mas, no contexto do evangelho todo, entendemos que esta declaração, junto com o milagre de estar andando nas águas, trata-se de uma afirmação de Sua deidade. Jesus estava declarando “ego eimi”—Eu Sou.

Estudamos o texto original de Êxodo 3.13-15, onde Deus identificou-se pelo nome Eu Sou para Moisés; também algumas passagens de Isaías 43 e 45, onde Deus se identifica como o único Deus, o Eu Sou. Lendo estas passagens, vimos vários paralelos entre como Deus se revela no texto de Isaías e como Jesus se declara no evangelho de João. Não tenha dúvida: Jesus, em pé sobre as águas, declarando “Eu Sou”, foi uma forte afirmação da Sua deidade. Ele é o Cristo, o Filho de Deus; crendo, temos vida em Seu nome.

Corações Abertos

Vamos aplicar o que estudamos à nossa vida espiritual.

Ao final da mensagem, examinamos três verdades sobre Jesus 

Jesus se apresenta como Mestre sobre a criação.

  • Sobre os próprios elementos na transformação da água em vinho.
  • Sobre a distância quando cura o filho do oficial em outra cidade.
  • Sobre as enfermidades e o tempo na cura do paralítico.
  • Sobre as necessidades e a escassez do homem na multiplicação do alimento.
  • Sobre as leis da própria natureza ao andar sobre as águas (e acalmá-las).

Em cada caso, Jesus demonstra que é capaz de superar as diferentes limitações e fraquezas do ser humano. Qual delas fala a alguma necessidade que você ou um conhecido seu está passando? Você está confiando nEle para suprir suas necessidades, ajudar ou curar as suas enfermidades, andar ao seu encontro no mar bravio da sua vida?

Jesus se apresenta como o Consolador em meio às dificuldades.

  • Sua resposta às nossas incertezas é “não tenham medo; lembrem de quem Eu Sou”
  • Sua resposta aos nossos temores é “não tenham medo; lembrem-se da Minha presença.

Temos que lembrar sempre quem Jesus é, e onde Ele está. Na verdade, Ele não está, Ele é (Eu Sou). Você está lembrando, nas vitórias e nas tribulações, que Ele continua sendo o mesmo, e é presente em todo momento?

Jesus se apresenta como o Grande Eu Sou.

  • O Evangelista tem um propósito: provar que Jesus é Deus. (“Cristo, o Filho de Deus” é o mesmo que declarar Sua deidade.)
  • Quando andou sobre as águas, Ele demonstrou com poder que “Eu Sou”.

O cristianismo não é apenas uma religião entre muitas outras que têm a verdade absoluta. Há apenas um caminho para Deus, e é pela fé em Jesus, da forma que Ele se manifestou para o homem: Deus encarnado. Como isso tem marcado a sua vida?

Mãos Estendidas

Vamos colocar em prática aquilo que aprendemos esta semana. 

Pensando sobre a sua vida, ou a vida de um parente, um amigo ou um conhecido, responda as seguintes perguntas:

Os discípulos remarem num mar bravio contra o vento e as ondas a noite toda para avançar 5-6 km. Você (ou alguém) está lidando com um problema persistente, uma luta ou desafio que parece que insuperável, constante, sem solução à vista? O que é?

Jesus permitiu que os discípulos remassem a noite toda antes de ir ao encontro deles sobre as águas. Por que você acha que Ele não foi imediatamente?

Tiago 1.2-8 descreve uma pessoa “que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento” (v.6). Nossas tribulações podem persistir porque Deus procura fortalecer a nossa fé. Você tem confiado nas respostas bíblicas para sua situação? Ou continuar a remar no seu próprio esforço, talvez até pensando “onde Deus está nessas horas”? Quais são algumas respostas bíblicas para sua situação (Deus vindo ao seu encontro pela Sua Palavra)? 

Interessante é que quando Jesus apareceu, a reação dos discípulos foi espanto. Será que a resposta de Deus já está sendo apresentada pela Sua Palavra, e você simplesmente tem medo de aceitar a resposta bíblica?

Mentes Ocupadas

Nossa leitura bíblica desta semana:

Dia 1

João 6.16-21

Dia 2

Êxodo 3.1-22

Dia 3

Isaías 43.1-15

Dia 4

Isaías 43.16-28

Dia 5

Isaías 45.1-10

Dia 6

Isaías 45.11-25

Dia 7

Apocalipse 5.1-14

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *