Jesus e o Oficial do Rei

Clique aqui para visualizar o guia em PDF.

Ouvidos Atentos

Neste domingo, voltamos à nossa série “Podes Crer”, onde estamos estudando o evangelho de João. Como temos visto, o livro inteiro de João tem um propósito: demonstrar evidências que levem o leitor a crer que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e que crendo, tenha vida em Seu nome (Jo 20.31). Na passagem deste domingo, acompanhamos Jesus quando Ele saiu de Samaria depois de dois dias e voltou para Caná, na Galileia. Lá Ele foi recebido pelos galileus que presenciaram os sinais miraculosos dEle durante a Páscoa em Jerusalém. Sua fama estava crescendo, e pessoas curiosas queriam ver mais demonstrações do Seu poder. Mas entre as pessoas estava um homem desesperado, um oficial do rei que morava em Cafarnaum, a uns 40km de distância (lugar que Jesus também havia passado um tempo antes de ir para Jerusalém). O filho deste oficial estava doente, à beira da morte, e ele, procurando este homem que curava pessoas, viajou pelo menos dois dias para chegar e pedir a ajuda de Jesus.

Jesus usou a oportunidade para tanto repreender a “fé” vazia da multidão como também responder à fé do oficial. Jesus declarou às pessoas ali, “Se vocês não virem sinais e maravilhas, nunca crerão”. Ou seja, denunciou a sua falta de fé verdadeira em Cristo; eles queriam constante comprovação, ou não creriam. Já para o oficial, Ele exigiu uma prova de sua fé: ao simplesmente declarar que o filho continuaria a viver, Jesus esperava que aquele homem voltasse para casa sem nada para comprovar o milagre. Se acreditasse na palavra de Jesus, iria. Se não, procuraria outra solução. O oficial voltou, e no próximo dia encontrou-se com um servo que o informou que o filhou estava curado. A palavra do servo comprovou que foi justamente no horário que Jesus havia falado que o menino melhoraria. Agora, a simples fé na palavra de Cristo se transformou em algo maior: fé no próprio Jesus como sendo o Cristo. Aquele oficial apoiou toda sua esperança em Cristo, e o resultado foi a salvação dele, e daqueles de sua casa.

Corações Abertos

Vamos aplicar o que estudamos à nossa vida espiritual.

Como observamos, o evangelho de João foi escrito para levar o leitor à fé, mas histórias como esta e outras que estudaremos ao longo da série demonstram que existem várias manifestações de fé, e nem todas levam à salvação. Até mesmo a declaração do propósito da carta (20.31) não diz apenas, “para que vocês acreditem”. O propósito é uma fé apontada para algo bem específico: Jesus como Cristo, o Filho de Deus.

Juntando o que vimos até agora no evangelho de João, avalie a sua fé:

Fé consumista (Jo 2.23; 4.48): Essa foi a fé da multidão que creu em Jesus baseado nos milagres e que procurava mais sinais e milagres para comprovar sua fé. Você precisa de “provas” que Deus o ama, ou que Ele realmente providencia as suas necessidades, ou que Ele vai responder as suas orações (da maneira que você deseja)? Sua fé vai além do acreditar em Deus de forma geral, para acreditar unicamente em Jesus como Senhor e Salvador da sua vida?

Fé curiosa (Jo 3.1-21): A fé de Nicodemos não o levou imediatamente a fé em Jesus como Messias. Ele sabia que Jesus era algo diferente, mas as declarações sobre a impossibilidade da salvação pelos esforços humanos provou ser demais para ele (pelo menos no capítulo 3). Você está seguindo Jesus só até algo mais interessante apareça? Você já nasceu de novo/de cima como Jesus falou em João 3?

Fé verdadeira (Jo 4): Alguns chamam a fé dos samaritanos e do oficial de Cafarnaum de uma fé salvadora, mas na verdade é a graça salvadora de Deus, aceita pela fé em Cristo. Não é a fé, propriamente dita, que nos salva, mas a graça de Deus, mediante a fé. Você acredita, verdadeiramente em Cristo como Salvador de sua alma? Que impacto essa fé tem? Você está desfrutando hoje dos benefícios da vida eterna que você viverá com Cristo?

Mãos Estendidas

Vamos colocar em prática o que aprendemos este domingo.

No caso do oficial, vimos uma história com começo, meio e fim: ele estava com o filho doente, veio pedir a ajuda de Jesus, confiou na palavra dEle, voltou para casa para achar o filho curado, e creu em Cristo como Salvador.

A nossa história é pouco diferente pois está em andamento: temos as memórias do passado, estamos vivendo o presente, e não conhecemos o futuro. E os detalhes da nossa caminhada vão se desvendando com cada momento que passa. Mas nós também somos como o oficial no sentido que nós, nos momentos de desespero, trazemos os nossos pedidos para os pés de Jesus. Será que a nossa fé em Cristo é igual à fé do oficial?

Salvação: embora nem sempre acompanham os sentimentos de desespero, o momento que reconhecemos a nossa condição de pecador diante de Deus e pedimos que Jesus nos salve é um momento de desespero espiritual. A nossa fé em Cristo para salvação só será consumada e provada como verdadeira na eternidade. Você está caminhando em obediência à palavra de Deus até chegar na manifestação futura de Jesus?

Tribulações: Nossa caminhada aqui na terra é repleta de desafios, problemas, doenças, embates, e etc. Existem momentos de desespero e humildade em que corremos aos pés de Cristo. Embora a resposta nem sempre se apresente claramente, você está caminhando na fé que Deus está no controle? Você entende que talvez esta provação seja aquela que te acompanhará por toda a sua vida? Você dá graças a Deus pelas tribulações leves e passageiras, que vêm e passam em pouco tempo?

Bênçãos: Talvez uma das maiores evidências de nossa fé pode ser demonstrada pela gratidão a Deus quando somos abençoados. Não só mostramos que entendemos que Deus é provedor de tudo que temos, mas servimos de testemunha disso para outras pessoas à nossa volta. Como está a sua vida de gratidão?

Mentes Ocupadas

Nossa leitura bíblica para a semana:

Dia 1

João 4.43-54

Dia 2

2 Coríntios 4.15-18

Dia 3

João 2.13-25

Dia 4

Hebreus 11.1-16

Dia 5

Hebreus 11.17-40

Dia 6

Romanos 8.16-25

Dia 7

1 João 3.1-6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *